Uma estranha….

Talvez nem compreenda o que se passa comigo, queria perceber o porque desta luta constante comigo mesma, o porque de esconder esta mágoa aqui dentro e mostrar a coragem que tenho para continuar sempre em frente.

Cometo erros atrás de erros e parece que as vezes não aprendo, como pode ser assim, será preciso espetar-me tantas vezes para perceber o quanto “imatura” estou a ser.

Só quero ser eu, simplesmente eu, sem preocupações sem strsses sem desânimo, sem nada mesmo. Só quero ser alguém que era antes, mas já não consigo, queria passar ao lado dos erros dos outros e simplesmente viver com a minha vida como sempre fiz, com os meus sonhos, os meus ideais. Tantos sonhos deixei para trás tantos que nem se quer tentei lutar por eles, e agora sinto-me vazia por nem se quer ter tentado, ou por simplesmente ter desistido no primeiro obstáculo que me aparece há frente não soube lidar com ele das melhores maneiras.

 

Por vezes algumas palavras magoam-nos ferem-nos e deixam-nos de rastos, como se algo nos desune-se, como aceitar aquilo que temo constantemente, como evidenciar aquilo que quero sem magoar ninguém, por vezes só me apetece sair daqui desaparecer para a minha paz, o meu refugio, o meu sossego, mas é tão longe é tão distante. E quando estas palavras cruzam o ar e me atingem o peito com a força bruta de uma onda parece que tudo há minha volta se dissipa e me sinto a afogar num mar de desilusões e de dor que nunca passa.

Começo a achar que o meu caminho está traçado neste momento noutra direcção, mas tenho medo de a tomar, porque não sei ao certo o que se encontra do outro lado da curva, talvez antes não hesitaria em avançar, sem passar nas consequências, nos rastos que deixava atrás de mim, hoje penso, tolero, e tenho medo. Que se passará comigo?

Por vezes dou-me conta que algo mudou, não só em mim mas no que está há minha volta, algumas pessoas próximas a mim julgam que eu estou presa de mais, talvez devessem pensar que tive a liberdade delas muito mais cedo e por isso vejo as coisas com outras perspectivas.

Olho para a um ano atrás e tudo parecia tão diferente, a maneira de pensar, a maneira de ver as coisas, a maneira de julgar o impossível, vivo no medo do que vem e antes vivia na certeza do dia que findava. Já vi tanta coisa, já vivi tanta coisa, já aprendi tanta coisa que hoje vejo as coisas com outros olhos. Porque o que aprendi de importante na vida não foi na escola que o aprendi, foi na rua a viver e conviver com os meus amigos, a viver as aventuras que partilhávamos, a sermos nós, e com eles aprendi que o raciocínio vem daquilo que achamos ideal….

 

Caminho hoje as cegas como antes caminha, só que com a diferença de ter medo do que não vejo que antes eu considerava um simples desafio….

 

Nunca me considerei uma pessoa medrosa, sempre lutei contra os meus medos e consegui sempre supera-los, sempre arrisquei chegar mais longe e quantas vezes cai para depois me levantar e rir alto, hoje os medos vencem-me levam-me e dominam-me. Quero lutar contra eles e falta-me aquela coragem que antes tinha….quero seguir contra eles e falta-me os sonhos que não arrisquei. Mas ainda tenho alguns dentro de mim, alguém que quero realizar, alguns que sonho realizados e faze-los parte de mim…

E são essas poucas coisas que hoje me dão força para lutar novamente…. 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s